simposium.png Boas-vindas

Distribuição de Velactis (cabergolina) suspensa na UE

1 de julho - 2016

Distribuição de Velactis (cabergolina) suspensa na UE
A Agência Europeia de Medicamentos está a investigar uma série de relatos médicos e de produtores envolvendo incidentes de decúbito (vacas caídas) e em alguns casos morte, após a administração de Velactis em animais. A sua distribuição foi suspensa.

A Agência Europeia de Medicamentos (EMA) está a investigar uma série de relatos médicos e de produtores envolvendo incidentes de decúbito (vacas caídas) e em alguns casos morte, após a administração de Velactis em animais. A sua distribuição foi suspensa, voluntariamente, pela Ceva Santé Animale, empresa titular da AIM do medicamento, que tem estado em plena cooperação com a EMA e tenciona continuar a fazê-lo de forma a melhor compreender a situação e apresentar uma rápida solução.

O medicamento veterinário Velactis, contém cabergolina e está indicado como auxiliar na interrupção abrupta da lactação no momento da secagem das vacas, contribuindo no maneio das explorações de vacas leiteiras. Foi autorizado em 2015 após a realização de extensos ensaios, nos quais não foi reportado o aumento de situações de decúbito como reação adversa.

No entanto, noutros países da EU, principalmente na Dinamarca, foram reportados casos de eventos adversos inesperados para os quais a relação de causalidade ainda não foi determinada, entre os quais situações de decúbito (e em alguns casos morte), mas também hipotermia, hipocalcémia, transtornos ruminais, diarreia, doença vascular periférica, ataxia e adipsia. A maioria dos sintomas, em particular o decúbito, ocorreram poucas horas após a administração do medicamento (entre 8 a 24 horas).

Em Portugal não foram notificadas reações adversas até à data e, segundo a DGAV, devido à natureza e ao tipo de utilização deste medicamento, não há risco para a saúde pública ou segurança dos consumidores.

A EMA, a DGAV e a Ceva Santé Animale recomendam aos médicos veterinários que notifiquem imediatamente quaisquer eventos adversos observados, incluindo falhas da eficácia esperada, após a utilização do Velactis, ao Sistema Nacional de Farmacovigilância Veterinária (SNFV) (farmacovigilancia.vet@dgav.pt) ou diretamente à CEVA Saúde Animal (farmacovigilanciapt@ceva.com).

Pode consultar informação mais detalhada no portal da EMA.
Fonte: DGAV; Ordem dos Médicos Veterinários. Foto: www.dgv.min-agricultura.pt e economia.estadao.com.br